Os comissários da Varig que ‘contrabandeavam’ remédios para ajudar pacientes com Aids

Em 1989, Rogério vivia seu melhor momento: 30 e poucos anos, viagens ao exterior como comissário de bordo, salário acima da média. Tinha acabado de comprar um carro e um apartamento em Copacabana. ”Eu estava curtindo a vida, muito feliz. Até que veio o baque”, conta.
Em 1989, Rogério vivia seu melhor momento: 30 e poucos anos, viagens ao exterior como comissário de bordo, salário acima da média. Tinha acabado de comprar um carro e um apartamento em Copacabana. ”Eu estava curtindo a vida, muito feliz. Até que veio o baque”, conta.
Inicialmente, essa queda foi também literal: um dia, depois de um treino na academia, Rogério desmaiou — isso nunca tinha ocorrido. Um amigo o aconselhou: não seria bom fazer uns exames? ”Quando fui buscar os resultados, o laboratório ficou com medo da minha reação e se recusou a entregar o documento. Logo desconfiei da resposta”, conta. Ele tinha HIV.

Ler a íntegra na plataforma original

Captura: Biosferatech
Fonte: Época Negócios, 12 fev. 2020

Deixe uma resposta